top of page
cresol.jpg
RM banner 1000x250.jpg
sicoob.jpg
abegg.jpg
sicredi.jpg
IMG_7261.JPG
banner p.o.jpg

Jornalista Glória Maria morre no Rio de Janeiro


A jornalista Gloria Maria morreu, nesta quinta-feira (2), no Rio de Janeiro, aos 73 anos. Gloria estava internada no hospital Copa Star, no Rio de Janeiro (RJ), para tratar um câncer. A morte foi confirmada pela Globo.

Gloria Maria foi diagnosticada com um câncer de pulmão em 2019. Ela passou por um tratamento de imunoterapia que, na época, foi concluído com sucesso. Após o tratamento, Gloria sofreu uma metástase no cérebro, que também foi tradada com êxito através de uma cirurgia. Porém, em 2022, a jornalista começou a nova fase do tratamento contra metástases no cérebro e o tratamento deixou de fazer efeito. Glória deixa duas filhas, Laura, de 15 anos, e Maria Matta da Silva, de 16. A jornalista estava afastada da TV desde o segundo semestre de 2022. A profissional da Globo apresentou uma longa carreira na televisão e é considerada um dos ícones da área. Na emissora desde 1971, trabalhou como repórter e apresentou o "Fantástico" entre 1998 a 2007. Desde 2010, atuava com o "Globo Repórter".


Gloria Maria ainda foi a primeira repórter a entrar ao vivo numa transmissão a cores na TV brasileira. O marco aconteceu durante o Jornal Nacional. Gloria Maria Matta da Silva nasceu no Rio de Janeiro, em 15 de de agosto de 1949. Filha de Cosme Braga da Silva e Edna Alves da Matta, Gloria sempre se destacou nos colégios públicos em que estudou. Ela estudou jornalismo na Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio). Estreou na Globo, como repórter, em 1971, em uma época que os profissionais não apareciam no vídeo. A jornalista passou por RJTV, Bom Dia Rio e Jornal Hoje.


Colecionando marcos na TV, Gloria Maria foi a primeira repórter a aparecer ao vivo no Jornal Nacional. Ela também cobriu a guerra das Malvinas, em 1982, e a Copa do Mundo da França, em 1998.


A jornalista cobriu a posse Jimmy Carter em Washington, entrevistou chefes de estado, viajou mais de 100 países e deixou o nome escrito na história do "Fantástico", tradicional revista eletrônica da Globo, com entrevistas com Maddona, Leonardo Di Caprio e Nicole Kidman.


Fonte: IG

Comments


bottom of page