top of page
cresol.jpg
RM banner 1000x250.jpg
sicoob.jpg
abegg.jpg
sicredi.jpg
IMG_7261.JPG
banner p.o.jpg

Tripulantes do submersível que desapareceu gravaram vídeo se despedindo?


Vídeo que cirula nas redes sociais mostra suposta despedida dos tripulantes do submersível Titan REPRODUÇÃO: TIKTOK / @ETERNOOS

Circula nas redes sociais um vídeo da suposta despedida dos tripulantes do submersível Titan. A embarcação desapareceu no último dia 18 e, quatro dias depois, a Guarda-Costeira dos Estados Unidos anunciou que o a estrutura havia sofrido uma implosão, o que levou à morte instantânea de todos os cinco tripulantes a bordo.


O material está sendo compartilhado como se fosse autêntico, mas foi criado por meio de inteligência artificial a partir de imagens de uma entrevista concedida pelo fundador e diretor da OceanGate, Stockton Rush, em 2019, segundo a agência de notícias Reuters. Até a última sexta-feira (23), mais de 3,2 milhões de usuários do Facebook e do Instagram haviam assistido ao conteúdo. Um usuário do TikTok publicou o vídeo em sua conta na última quinta-feira (22), mas sinalizou que as imagens haviam sido desenvolvidas por inteligência artificial, diferentemente de outros internautas. "Meus amigos, minha família, hoje é minha última noite de oxigênio aqui no fundo do mar", lamenta, no vídeo, um dos supostos tripulantes. "Estamos presos aqui no fundo do oceano em nossa expedição ao Titanic. O ambiente aqui é sombrio e triste. Este é meu adeus, meus amigos. Obrigado." Das cinco pessoas retratadas no vídeo, apenas uma delas realmente era um dos tripulantes do Titan — o CEO e fundador da OceanGate, Stockson Rush. As outras, não. A Reuters identificou que um vídeo semelhante ao usado nos posts, no qual aparecem as mesmas pessoas e cenário, foi divulgado no canal da OceanGate no YouTube, em setembro de 2019.


A Guarda-Costeira acredita que o Titan tenha sido implodido no próprio domingo (18), quando a embarcação foi reportada como desaparecida. Portanto, tudo indica que os tripulantes nem sequer imaginavam que morreriam. Eles também não sofreram com a falta de oxigênio e tiveram uma morte rápida e indolor.


Uma implosão é um processo no qual objetos são destruídos ao colapsar sobre si mesmos, conforme explicou ao R7 o professor de física Leandro Tessler, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). O processo ocorre quando a pressão externa é maior do que a pressão que o objeto consegue suportar. Nesses casos, ele é esmagado e reduzido a algo semelhante a uma latinha de refrigerante pisada.


Outros casos de subaquáticos desaparecidos

Esta não foi a primeira vez que um veículo subaquático, como um submersível ou submarino (embarcação maior que um submersível) desapareceu no oceano e teve um fim trágico. Em 2000, o Kursk (K-141), um submarino nuclear, afundou no Mar de Barents com uma tripulação de 118 homens, e foi encontrado a 118 metros de profundidade. O acidente é visto como uma das maiores tragédias subaquáticas da história.


Mais recentemente, em novembro de 2017, o submarino ARA San Juan naufragou na costa do país com 44 tripulantes. A embarcação só foi encontrada após mais um ano de buscas, a 900 metros de profundidade.


Fonte: R7

コメント


bottom of page