redefort supersacolao.jpg
banner p.o.jpg
banner-hanauer-PO.png
viatec.png
rm-energia.jpg
sicoob.jpg
abegg.jpg
peixoto_instaladora.png
mecaninca jaime 1000x250.jpg
sicredi.jpg
WS ESCAVAÇÕES 1000x250.jpg
loterica 1000x250 (2).jpg
oeste pneus.jpg
cresol.jpg

Temporal destrói igreja, escola, bloqueia ruas e deixa pessoas desabrigadas em Guaíba


O temporal que atingiu Guaíba, na Região Metropolitana de Porto Alegre, destruiu prédios, bloqueou ruas e deixou pessoas desabrigadas entre segunda-feira (17) e esta terça (18).


O bairro Santa Rita foi um dos mais atingidos. A Igreja Betel, na Rua Paulo de Souza Jardim, sofreu diversos danos com a chuva e vento fortes. O mesmo aconteceu com o prédio da Escola Estadual de Ensino Fundamental Carmen Alice Laviaguerre, na Avenida Osvaldo Jardim, e em imóveis na Rua Vinte e Seis.


Estragos nessa e em outras regiões fizeram com que a prefeitura decretasse situação de emergência e instituísse um comitê de crise para atender a população. A ideia é organizar o trânsito, fazer a retirada de árvores e postes que foram derrubados e restabelecer o serviço público que sofreu impactos com o temporal. A previsão dada pelo Executivo Municipal é de que a limpeza da cidade comece a partir das 7h desta terça.


Equipes da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos e da Secretaria de Mobilidade Urbana e Segurança Comunitária estão nos bairros desde a segunda-feira. Equipes da Defesa Civil prestam auxílio na cidade distribuindo lonas aos moradores. Já houve a entrega de lonas para 500 famílias, mas já há mais de mil pedidos tanto de lonas quanto de telhas. A prefeitura divulgou que, por volta das 23h, duas caminhonetes viajaram até Porto Alegre para buscar lonas doadas pela Capital.


Para pedidos de auxílio e socorro, a prefeitura de Guaíba disponibilizou números de telefone que funcionam em regime de plantão. Eles servem para solicitação de lonas, busca por alojamento temporário de famílias desabrigadas e alojamento no albergue municipal para casos diversos:


WhatsApp: (51) 9 9631-9678Corpo de Bombeiros: 193Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu): 192 Brigada Militar: 190


Mau tempo


De acordo com o Climatempo, a tempestade que atingiu a Região Metropolitana de Porto Alegre foi provocada por nuvens carregadas que se formaram devido à atmosfera estar muito quente e haver a aproximação de uma frente fria no litoral sul gaúcho.


O aeroporto de Porto Alegre registrou rajadas de vento de 62 km/h. Porém, pelo nível de destruição em Guaíba, a suspeita dos meteorologistas é de que houve rajadas mais intensas que podem ter sido chegado a mais de 100 km/h. Um caminhão chegou a tombar na cidade com a força do vento.


Fonte: G1

Foto: Reprodução/RBSTV



896 visualizações0 comentário