redefort supersacolao.jpg
banner p.o.jpg
banner-hanauer-PO.png
viatec.png
rm-energia.jpg
sicoob.jpg
abegg.jpg
peixoto_instaladora.png
mecaninca jaime 1000x250.jpg
sicredi.jpg
WS ESCAVAÇÕES 1000x250.jpg
loterica 1000x250 (2).jpg
oeste pneus.jpg
cresol.jpg

Quarenta homens da Força Nacional chegam na Reserva Indígena de Nonoai nesta segunda


A Força Nacional de Segurança Pública deve chegar na Reserva de Nonoai nesta segunda-feira (29) com o objetivo de tentar controlar a situação de conflito entre os índios caingangues. O efetivo, que deve reunir 40 homens, permanecerá no local pelo período de 30 dias.


O Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) autorizou na última quinta-feira o emprego da Força Nacional em apoio à Polícia Federal a fim de garantir a ordem pública, o patrimônio público e a integridade das pessoas. A Portaria nº 517 foi publicada no Diário Oficial da União (DOU).


Segundo o prefeito de Planalto, Cristiano Gnoatto, o município disponibilizou o espaço do Centro de Convivência do Idoso – desocupado em função da pandemia do Covid19 – para abrigar a Força Nacional.


Ele afirmou que a presença do efetivo é importante pois o conflito entre os indígenas – liderados pelo cacique de Nonoai e o outra liderança que se auto denominou cacique da aldeia Pinhalzinho, em Planalto – está gerando situações de violência. “Recentemente ocorreu um tiroteio e a morte de uma pessoa e periodicamente a rodovia ERS-324 foi bloqueada, fato que afeta a economia local e regional impedindo a circulação de veículos”, observou.


A disputa por poder e dinheiro oriundo do arrendamento de terras indígenas para agricultores prolonga o conflito interno entre os índios caingangues da Reserva de Nonoai, que abrange também áreas do vizinho município de Planalto. O desentendimento entre os índios ocorre desde a recente criação de cacicado nas Aldeias de Pinhalzinho e Bananeiras, em Planalto. Antes as aldeias eram comandadas pelo cacique de Nonoai.


Fonte: Correio do Povo

Foto: Governo Federal

329 visualizações0 comentário