top of page
cresol.jpg
RM banner 1000x250.jpg
sicoob.jpg
abegg.jpg
sicredi.jpg
IMG_7261.JPG
banner p.o.jpg

Passageiros de BMW morreram asfixiados por monóxido de carbono em Balneário Camboriú, diz perícia

Os quatro jovens encontrados desacordados dentro de uma BMW na manhã de 1º de janeiro em Balneário Camboriú, no Litoral Norte, morreram asfixiadas por monóxido de carbono. A informação foi confirmada em coletiva de imprensa com as forças de segurança de Santa Catarine nesta sexta-feira (12).


A suspeita sobre o envenenamento pela substância sem cheiro e altamente tóxica já havia sido levantada na investigação. Ao longo da apuração, laudos comprovaram que o gás saiu pelo ar-condicionado do veículo, que passou por ao menos três customizações.


A investigação segue para buscar. Segundo o delegado Vicente Soares, os responsáveis pelas mudanças no veículo poderão responder por homicídio culposo.


"É necessária oitiva desses mecânicos que realizaram a montagem desse equipamento, mas no momento o inquérito é inclinado para o indiciamento por homicídio culposo, mas ainda vai ser concluído”, disse o delegado.


Gustavo Pereira Silveira Elias, 24 anos, Karla Aparecida dos Santos, de 19, Tiago de Lima Ribeiro, de 21, e Nicolas Kovaleski, de 16, foram encontrados desmaiados no carro estacionado dentro da rodoviária da cidade. Eles chegaram a ser socorridos, mas as mortes foram confirmadas ainda no local.


De acordo com testemunhas ouvidas pela Delegacia de Investigação Criminal (DIC), antes do grupo chegar a Balneário Camboriú para a festa réveillon na cidade, Ribeiro dirigia o carro e afirmou aos familiares que sentiu um "engasgo" no carro. No entanto, as vítimas seguiram para a festa.


Perícia


Desde o início da investigação, foram feitos mais 15 exames nos corpos, no carro e no local onde o grupo foi encontrado. De acordo com Andressa Boer Fronza, Perita-Geral da Polícia Científica, os laudos atestaram grande quantidade de monixido de carbono no sangue das vítimas, além de sinais de asfixia e outras características nos corpos.


"As provas periciais produzidas pelos peritos da Polícia Científica demonstraram que a causa da morte das quatro vítimas se deu por asfixia por monóxido de carbono, sendo decorrente das alterações irregulares no escapamento do veículo conforme foi detalhadamente apresentado", explicou.


A perícia também apontou que nenhuma substância ilícita foi encontrada dentro do veículo. Além disso, o motorista da BMW não apresentava álcool no sangue.


O que se sabe sobre o caso


O caso aconteceu em 1º de janeiro de 2024. O grupo foi encontrado desmaiado pela namorada de uma das vítimas, que chegou a ficar dentro do carro por alguns momentos;


Eles foram até o local após a festa de ano-novo para buscar a mulher e seguir viagem para a região de Florianópolis, onde moravam;

Os quatro jovens ficaram cerca de quatro horas dentro do carro ligado com o ar-condicionado funcionando;


Durante a madrugada, relataram que comeram um cachorro-quente na praia e relacionaram a náusea, a tontura, e a tremedeira ao alimento. O grupo ficou na rodoviária esperando uma melhora para poder seguir viagem;


A mulher que chegou de viagem não apresentou nenhum sintoma.


Fonte: g1

Foto: Reprodução Redes Sociais

Commenti


bottom of page