redefort supersacolao.jpg
banner p.o.jpg
banner-hanauer-PO.png
viatec.png
rm-energia.jpg
sicoob.jpg
abegg.jpg
peixoto_instaladora.png
mecaninca jaime 1000x250.jpg
sicredi.jpg
WS ESCAVAÇÕES 1000x250.jpg
loterica 1000x250 (2).jpg
oeste pneus.jpg
cresol.jpg

Mulher que incinerou marido em forno de fumo no sul do RS é absolvida pelo júri


Em júri popular nesta quarta-feira (27), uma agricultora de Dom Feliciano, no sul do Estado, foi absolvida pelo assassinato do marido. Após depoimentos de testemunhas e debates entre defesa e acusação, Elizamar de Moura Alves, 36 anos, que respondia pela morte de Erni Pereira da Cunha, 42, foi absolvida. O Tribunal do Júri durou 13 horas no Fórum de Camaquã.


A decisão do júri, formado por quatro mulheres e três homens, não foi unânime. Por quatro a três, Elizamar foi absolvida de todos os crimes aos quais respondia: homicídio, falsidade ideológica e ocultação de cadáver. O Ministério Público deverá recorrer.


A mulher confessou ter dopado o companheiro e arremessado seu corpo dentro de um forno de secagem de fumo em uma propriedade onde viviam em fevereiro de 2021. A defesa sempre alegou que ela sofria violência doméstica, assim como os dois filhos do casal chegaram a ser ameaçados. Durante o julgamento, arrolada como testemunha de defesa, a filha da ré disse que a mãe sofria abusos físicos e psicológicos.


— Conforme a defesa sempre alegou, a Elizamar foi vítima de violência doméstica durante todo o casamento e ficou comprovado que ela agiu em legítima defesa, levando à sua absolvição — disse o advogado Marcos Hauser.


O júri foi presidido pelo juiz Daniel de Souza Fleury. Por parte do MP, atuou o promotor Francisco Saldanha Lauenstein, que se retirou do plenário do Foro de Camaquã, contrariado com a decisão.


O magistrado já expediu o alvará de soltura da mulher, que estava presa preventivamente desde o ano passado na Penitenciária Feminina de Guaíba.


Fonte: Gaúcha ZH

Foto: Polícia Civil


2.006 visualizações0 comentário