redefort supersacolao.jpg
banner p.o.jpg
banner-hanauer-PO.png
viatec.png
rm-energia.jpg
sicoob.jpg
abegg.jpg
peixoto_instaladora.png
mecaninca jaime 1000x250.jpg
sicredi.jpg
WS ESCAVAÇÕES 1000x250.jpg
loterica 1000x250 (2).jpg
oeste pneus.jpg
cresol.jpg

Gasto com sistema prisional é quatro vezes maior que o investido em educação básica no Brasil


O Brasil investe quatro vezes mais no sistema prisional em comparação com a educação básica, de acordo com um levantamento feito pela Universidade de São Paulo (USP). Cada preso custa, em média, R$ 1,8 mil por mês, enquanto um aluno de escola pública nesta fase de ensino recebe R$ 470 em investimentos mensais.


O levantamento utiliza dados de 2022 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).


O comparativo dos dados é feito por pesquisadores da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto (FDRP) da USP. A instituição realizou uma pesquisa pioneira que identificou a falta de transparência em relação a informações relacionadas aos gastos com presos nas penitenciárias brasileiras.


Desde que o estudo foi realizado, em 2016, os dados passaram a ser atualizados mensalmente pelo CNJ. Um dos autores da pesquisa, o professor Cláudio do Prado Amaral, afirma que é uma “triste constatação” a discrepância de gastos.


Para Amaral, o comparativo torna-se mais preocupante quando o nível de ressocialização dos encarcerados também é analisado.


“Quando nós pensamos que investimos muito em sistema dessocializador, em comparação ao que investimos no que evita a prisão, que é a educação, a gente tenta chamar a atenção sobre esse grande paradoxo, essa opção de política criminal que o Brasil tem feito há décadas”, afirma o docente.


Fonte: Jornal O Sul

Foto: Divulgação

102 visualizações0 comentário