redefort supersacolao.jpg
banner p.o.jpg
banner-hanauer-PO.png
viatec.png
rm-energia.jpg
sicoob.jpg
abegg.jpg
peixoto_instaladora.png
mecaninca jaime 1000x250.jpg
sicredi.jpg
WS ESCAVAÇÕES 1000x250.jpg
loterica 1000x250 (2).jpg
oeste pneus.jpg
cresol.jpg

Duas pessoas são mortas a tiros durante confronto em reserva indígena de Ronda Alta, diz BM


Duas pessoas foram assassinadas a tiros na Reserva Indígina da Serrinha na manhã de sábado (16) em Ronda Alta, no Norte do Rio Grande do Sul. De acordo com a Brigada Militar (BM), os crimes aconteceram durante um confronto entre indígenas. A Polícia Federal (PF) investiga para entender em que circunstâncias elas foram mortas e a motivação para os crimes.

"Foram dois indígenas mortos por disparos de arma de fogo. Estavam a pé em meio a uma plantação de trigo à margem de uma rodovia. A Polícia Federal fez levantamento no local do crime, coletou munições e armas de fogo. Será realizado exame necroscópico nos cadáveres. Há suspeitos, mas não vamos divulgar detalhes para não atrapalhar a investigação", relata o delegado Iuri de Oliveira, da PF de Passo Fundo. As identidades das vítimas não foram divulgadas ao g1. No entanto, a PF disse que são dois homens. Os crimes aconteceram entre 9h e 10h em uma área próxima da RS-324, rodovia que liga Passo Fundo até Ronda Alta. O nome da localidade onde fica a reserva é Alto Alegre e fica no interior da cidade. BM foi acionada para ir ao local por volta das 10h30. O comandante do Comando Regional de Policiamento Ostensivo (CRPO) do Planalto, Volnei Ceolin, conta que testemunhas disseram aos policiais militares que um conflito indígena levou aos assassinatos. Quatro carros e uma casa foram incendiados na reserva, além das duas pessoas terem sido mortas.

"Agora, a Polícia Federal trabalha para entender o que aconteceu. É uma reserva com histórico de conflitos. Com mais esse caso, reforçamos o policiamento na região", diz o tenente-coronel Ceolin.

A Polícia Civil presta apoio à PF durante a investigação.


Fonte: G1 - RS

1.753 visualizações0 comentário