PUBLICIDADE SANDRO ONLINE DAQUI.jpg
natal-feliz-banner.jpg
sacolao.png
oeste-pneus.jpg
viatec.png
rm-energia.jpg
loja-7.jpg
portela-engenharia-construcao.jpg
portela-automatiza.png
peixoto_instaladora.png

Corsan aumenta o nível de cloro na água para combater o vírus da doença diarreica aguda no RS


A Companhia Rio Grandense de Saneamento (Corsan) anunciou, nessa quinta-feira (21), o aumento do nível de cloro na água distribuída aos consumidores. A medida é uma forma de prevenção contra a doença diarreica aguda.


No dia 8 de outubro, o Rio Grande do Sul confirmou um surto da doença em 25 municípios (veja a lista abaixo), afetando mais de 2 mil pessoas desde agosto deste ano. A Secretaria Estadual de Saúde informou ao g1 que um novo boletim, com dados atualizados, está sendo produzido.


Conforme a Corsan, o abastecimento de água não tem relação com o surto. No entanto, a companhia aumentou os níveis de cloro em 80%, de 0,5 partes por milhão (ppm) para 0,9 ppm.


"A companhia ressalta a importância da manutenção dos reservatórios domésticos limpos, desinfectados periodicamente e tampados para evitar qualquer contaminação", diz a empresa.


Entenda o que é a doença diarreica aguda

O Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) afirma que o vírus pode apresentar resistência às concentrações de cloro aplicadas na água tratada.


Amostras de água de municípios com o surto foram enviadas pelo Cevs para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.


Doença diarreica aguda


A doença é causada pelo norovírus. De acordo com médicos epidemiologistas, a doença atinge mais crianças com menos de 5 anos. Ambientes de creches e escolas são os locais mais comuns para esses tipos de surtos.


Entre os sintomas, estão diarreia (que pode ou não ser acompanhada de dor abdominal), náusea, vômito e febre. A doença pode provocar desnutrição e desidratação intensas e, se não for tratada, leva à morte. Especialistas recomendam que o médico deve ser procurado logo que os primeiros sintomas se manifestarem.


"A contaminação, geralmente, é pela água e, em alguns casos, pela comida. É uma doença grave e que exige cuidado médico imediato", alerta o epidemiologista, Paulo Petry, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.


Surtos no RS (08/10):


* Cidades que já tiveram ao menos duas amostras clínicas de pessoas confirmadas para o norovírus.


Barra Funda* – 26 casos

Bento Gonçalves* – 394 casos

Carlos Barbosa – surtos identificados (sem número de casos)

Caxias do Sul – surtos identificados (sem número de casos)

Colorado* – 19 casos

Dois Irmãos* – mais de 200 casos

Esteio – 144 casos

Garibaldi – surtos identificados (sem número de casos)

Horizontina – 69 casos

Lavras do Sul – 174 casos

Mato Leitão – 50 casos

Monte Belo do Sul – surtos identificados (sem número de casos)

Morro Reuter – cerca de 20 casos

Pinto Bandeira – surtos identificados (sem número de casos)

Porto Alegre* – 3 casos

Saldanha Marinho – 228 casos

Santa Cruz do Sul* – 374 casos

Santa Maria – surtos identificados (sem número de casos)

Santana do Livramento* – 214 casos

Santa Rosa – 28 casos

Santo Cristo – 14 casos

São Marcos – surtos identificados (sem número de casos)

Sarandi* – 49 casos

Tucunduva* – 33 casos


Fonte: G1/RS

Foto: divulgação

330 visualizações0 comentário