top of page
cresol.jpg
RM banner 1000x250.jpg
sicoob.jpg
abegg.jpg
sicredi.jpg
IMG_7261.JPG
banner p.o.jpg

Cerca de 500 funcionários já foram demitidos na Mais Frango, em Miraguaí

O frigorífico da Mais Frango, no município de Miraguaí, contabiliza até o momento cerca de 500 demissões em razão de um incêndio registrado em 17 de dezembro de 2023. O número ainda deve aumentar, afetando até 750 postos. Um quinto dos desligamentos até agora é de profissionais ainda sob contratos temporários que não foram renovados. Cerca de 95% do parque fabril foi atingido pelas chamas.


Na última semana, dirigentes do frigorífico estiveram no Rio de Janeiro para audiência no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O socorro à empresa mobiliza a região, já que a Mais Frango gera cerca de 1,3 mil empregos diretos. É a principal criadora de postos de trabalho em Miraguaí e no entorno.


“O que nos tranquiliza é que temos quatro ou cinco empresas de abates de suínos e aves que estão tentando absorver esses trabalhadores”, explica Raimundo Hett, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação.


A direção diz ainda não saber quanto precisará de dinheiro e afirma que foco é “reconstruir a unidade”. A ida para o Rio de Janeiro serviu para esclarecer dirigentes e técnicos do BNDES sobre a importância da empresa, que vai buscar ajuda do banco. A liberação de recursos depende de análise técnica por parte do BNDES, que engloba cadastro, limites de crédito e garantias.


A reunião da última semana, no Rio, foi articulada pelo presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Edegar Pretto. Juntos da direção da empresa, participaram também o deputado estadual Adão Pretto Filho (PT), o secretário de Trabalho e Desenvolvimento Profissional do RS, Gilmar Sossella, trabalhadores do frigorífico e representantes da Associação dos Municípios da Região Celeiro (Amuceleiro).


O presidente da Amuceleiro e prefeito de Barra do Guarita, Rodrigo Locatelli Tisott (PT), em entrevista à Rádio Alto Uruguai, afirmou que o encontro foi muito importante e que a empresa estará trabalhando nas próximas semanas, em conjunto com técnicos do banco, para estar se credenciando a acessar linhas de financiamento com condições especiais e que sejam benéficas neste processo de remontagem de sua estrutura. “A região ainda será muito impactada com a diminuição dos postos de trabalho da Mais Frango, redução de receitas de ICMS e também na cadeia produtiva”, afirma.


Fonte: Rádio Alto Uruguai - com informações de GZH

Foto: Corpo de Bombeiros / Divulgação


Comments


bottom of page