redefort supersacolao.jpg
banner p.o.jpg
banner-hanauer-PO.png
viatec.png
rm-energia.jpg
sicoob.jpg
abegg.jpg
peixoto_instaladora.png
mecaninca jaime 1000x250.jpg
sicredi.jpg
WS ESCAVAÇÕES 1000x250.jpg
loterica 1000x250 (2).jpg
oeste pneus.jpg
cresol.jpg

Caso Rafael: desembargador nega perícia em áudio pedido pela defesa


O Tribunal de Justiça (TJ) do Rio Grande do Sul negou pedido de realização de perícia em um áudio feito pela defesa de Alexandra Dougokenski, acusada de matar o filho, Rafael Mateus Winques, em Planalto, no Norte do Rio Grande do Sul. A decisão do desembargador José Antônio Cidade Pitrez, da 2ª Câmara Criminal, foi divulgada nesta terça-feira (29).


O caso deverá ser julgado pelo colegiado em data a ser definida. A defesa requer a suspensão da ação penal até o julgamento do pedido de perícia.


Trata-se de um áudio de três segundos de duração, no qual é possível ouvir a voz de uma criança. A defesa da ré solicita análise a fim de verificar se a voz é ou não de Rafael.


O áudio foi o motivo do desentendimento entre defesa e acusação no júri, iniciado em 21 de março. No início da sessão, que durou apenas 11 minutos, a juíza Marilene Campagna já havia negado o pleito da defesa de realizar a perícia no áudio. A defesa da ré se retirou do plenário e, assim, o julgamento foi cancelado.


Os advogados de Alexandra afirmavam que o arquivo contrariara a acusação de que Rafael morreu entre 14 e 15 de maio de 2020. Segundo eles, o áudio teria sido gravado após a morte. Já o Ministério Público se opôs, pois o prazo de apresentação de provas estaria encerrado.


Fonte: G1 e TJ/RS

Foto: Juliano Verardi (DICOM/TJRS)


215 visualizações0 comentário