top of page
cresol.jpg
RM banner 1000x250.jpg
sicoob.jpg
abegg.jpg
sicredi.jpg
IMG_7261.JPG
banner p.o.jpg

Caso Jarbas: Testemunhas deverão começar a ser ouvidas no dia 30 de agosto

Estava previsto para iniciar nesta quarta-feira (02) as audiências de instrução do processo criminal relativo ao homicídio do secretário de Saúde de Bom Progresso, Jarbas David Heinle, de 44 anos. O crime aconteceu em setembro de 2022.


A pedido das defesas dos quatro réus no processo, a audiência foi adiada e remarcada para o dia 30 de agosto, no foro da comarca de Três Passos. O pedido de adiamento se deu em razão da juntada, pela Polícia Civil, de novos documentos aos autos. O Ministério Público discordou do adiamento e pretendia que a audiência fosse efetivamente realizada nesta quarta.


No dia 30, serão realizadas as oitivas das testemunhas arroladas pelo Ministério Público, ou seja, testemunhas de acusação: serão oito pessoas ouvidas.


A expectativa é de que as defesas dos réus deverão arrolar cerca de 16 testemunhas. Na fase de instrução os réus também são inquiridos. A data ainda não está prevista.

Atendendo a reportagem da Rádio Alto Uruguai, o Ministério Público, através do promotor de justiça, Caio Isola de Aro, reafirma a convicção na responsabilidade dos quatro réus denunciados: o vice-prefeito de Bom Progresso, Maicon Leandro Vieira Leite (PDT), o candidato derrotado nas eleições municipais de Bom Progresso em 2020, pelo PSB, Cloves de Oliveira (Faísca), que são denunciados como mandantes do crime; além de Matheus Gabriel Müller Merel, apontado como executor dos disparos que foram feitos contra Jarbas, e Sérgio Ribeiro dos Santos, denunciado como a pessoa que teria contratado o atirador.


Maicon e Cloves chegaram a ser presos, no ano passado, mas foram soltos e respondem em liberdade. Matheus e Sérgio seguem detidos.


Sobre a possibilidade de mais envolvidos no assassinato, o Ministério Público afirmou à reportagem da Rádio Alto Uruguai que “o crime está suficientemente esclarecido, sendo que novas informações possivelmente servirão para corroborar a convicção”.


Denúncia apresentada pelo MP


Foram denunciados pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP) o vice-prefeito de Bom Progresso e mais três pessoas pelo assassinato do secretário de saúde do município, Jarbas David Heinle, de 44 anos. No entendimento da promotoria, a acusação é por homicídio duplamente qualificado.


Dois dos acusados, considerados os mandantes do crime, foram denunciados por homicídio qualificado por motivo torpe e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima e os outros dois, que seriam os executores, por crime cometido mediante pagamento de recompensa e também por recurso que dificultou a defesa da vítima. A denúncia foi apresentada no dia 29 de novembro de 2022.


Conforme os promotores de Três Passos, Fernanda Ramires e Caio Isola de Aro, dois dos denunciados esperaram escondidos a vítima chegar em sua casa e um deles atirou com arma de fogo contra Jarbas.


Depois, a dupla fugiu em uma motocicleta. Os dois foram identificados e um deles, que seria o responsável pela contratação do executor, segue preso. Já o homem apontado como o atirador está foragido.


No entendimento do Ministério Público, o vice-prefeito, Maicon Leandro Vieira Leite (PDT), e o outro acusado, Cloves de Oliveira, conhecido como Faísca, foram os mandantes e pagaram pelo assassinato. Os dois estão soltos.


Ainda segundo o MP, o crime foi encomendado pelos dois mandantes porque eles pretendiam, com a morte da vítima, ter o caminho facilitado para concorrerem às próximas eleições municipais de Bom Progresso.


Na investigação, a Polícia Civil concluiu que os dois mandantes entendiam que só teriam chance de assumir o poder municipal se eliminassem Jarbas, que é filho do prefeito de Bom Progresso, das disputas eleitorais. Eles teriam encomendado o crime pelo valor de R$ 50 mil.


Relembre o caso


Na noite de 10 de setembro de 2022, Jarbas e a esposa estiveram em um jantar na casa do secretário de Obras do município, Claudiomiro Correa Bones. O casal saiu do local por volta das 22h, em carros separados.


Jarbas chegou em casa um pouco antes da esposa. Quando desceu do veículo, foi atacado na garagem por um homem que estaria encapuzado. Jarbas foi atingido por quatro tiros. A esposa do político chegou em casa na sequência, mas afirma não ter presenciado o momento do ataque.


Fonte e foto: Rádio Alto Uruguai

Comentarios


bottom of page