redefort supersacolao.jpg
banner p.o.jpg
banner-hanauer-PO.png
viatec.png
rm-energia.jpg
sicoob.jpg
abegg.jpg
peixoto_instaladora.png
mecaninca jaime 1000x250.jpg
sicredi.jpg
WS ESCAVAÇÕES 1000x250.jpg
loterica 1000x250 (2).jpg
oeste pneus.jpg
cresol.jpg

A Mistanásia Social - Rabiscos do Silêncio



Mistanásia é a expressão que se usa para todo tipo de morte social, seja pela fome de crianças, por acidentes de trânsito de famílias inteiras e quando milhares de jovens são mortos pela violência no tráfico de drogas ou contrabando de organizações criminosas. Também pessoas que morrem à espera de atendimento hospitalar. Esses exemplos de mortes poderiam ser evitados se as políticas públicas fossem mais abrangentes.

Mas a Mistanásia pode ser definida como preconceito, omissão, descarte, negligência, irresponsabilidade, abandono... Tudo isso é fruto da maldade humana que nasce na mente das pessoas individualistas e desce ao coração se transformando em práticas danosas para a humildade, atingindo os direitos dos necessitados.

A falta de condições básicas de cidadania, não é evitada e faz com que muitas pessoas percam suas vidas injustamente ou sofram à margem do desprezo e permaneçam abandonadas, sem a assistência necessária para uma inclusão na dignidade da justiça social, tão ausente nessas pessoas infelizes, que provam da miserabilidade e desrespeito num conjunto de ações contrárias ao merecimento da vida.

Todo cidadão precisa promover a vida em todas as dimensões, sem exceção, seja ele branco, preto, pobre ou os mais frágeis e vulneráveis que tem os seus direitos negados, mas sejam promovidos com dignidade numa vida plena pela importância de uma inclusão sadia, fazendo uma adequação correta para que essas pessoas se sintam valorizadas no transcurso da vida.

É necessário abrir-se à promoção humana. A Mistanásia é cultura de morte que empobrece e gera ódio, violência e exclusão nas pessoas mais humildes. Precisamos ser vencedores de tudo isso com a sabedoria que nasce no interior e vai sendo revelada como sendo a vontade de Deus, sendo inclusivos no cuidado com a vida e os meios que elevam a autoestima das pessoas.

Mas somente será viabilizada essa realidade com cada um fazendo a sua parte, cuidando das necessidades uns dos outros com a fonte em Deus. Ter presente os direitos universais que cada um de nós merece ter, que é uma fé robusta em Deus criador de todas as coisas, não situado na mera vontade humana, na realidade do Estado, nem nos poderes públicos, pois os direitos na fé em Deus são invioláveis, indissolúveis e inalienáveis.

Não podemos abandonar a obra começada por Deus com cuidado a nossa vida, da vida em sociedade, também cuidar do planeta Terra que está muito agredido na sua essência. Devemos ter um olhar mais abrangente sobre quem padece a dor da exclusão social, valorizar os doentes com suas enfermidades que sofrem na solidão sem ter quem os console, sabendo ouvir as pessoas mal amadas em suas convivências. A Mistanásia precisa ser convertida em respeito, assistência e responsabilidade para podermos ter uma sociedade mais justa e acolhedora com o merecimento da vida para todos nós.






155 visualizações0 comentário