Rabiscos do Silêncio – A Potência Externa

 

Perceber os favores do tempo que passa por nós como sendo algo sagrado, oportuno e divino, não é somente fazer desse tempo algo que extrapola nossa condição humana pelo simples fato de existirmos. Mas é saber conduzi-lo na pureza dos nossos sentimentos que ajudam a perceber que existe essa grande força espiritual nos fortalecendo e guiando nossos passos, quando soubermos nos orientar pelas verdades indutivas, as quais nos dão a capacidade de receber essa potência externa: o próprio Deus.

E para que a nossa vida caminhe por rumos definidos e bem esclarecidos é necessário que saibamos organizar o nosso pensamento e os sentimentos, sempre orientados pela fé nas ações que fermentem motivação e responsabilidade por tudo o que está colocado nesse mundo, para o nosso bem, como passageiros de uma linda viagem na transcendência de nossa alma junto ao amor deste Deus que se manifesta ´já aqui nesta Terra.

Mas essa capacidade de organizar nossos sentimentos com os pensamentos passa literalmente pelo respeito que precisamos imprimir em tudo o que está colocado no mundo com suas razões de ser e existir. Vemos assim as pessoas, a natureza e tudo o que existe entre o céu e a terra, sendo criação desta presença poderosa que nos move e nos faz moventes pela integração do seu existir, como algo que subsiste ao tempo.

Por isso quando escurece dentro de nós essa capacidade de ver a presença de Deus na natureza, nas pessoas e em tudo o nos rodeia como beleza externa de nosso olhar, precisamos saber voltar nosso sentimento para além do horizonte, pois lá existe uma luz que não tem fim. Fazendo essa sintonia da fé nas buscas e orientações particulares tudo volta a normalidade com a paz e o pleno restabelecimento das nossas convivências na família e também junto com as pessoas  da sociedade.

Sem a busca dessa luz a vida perde o sentido de ser e existir e vivemos só pela metade, sem convicção em tudo o que fazemos e praticamos na sociedade. É preciso despertar em nós esses valores que vem de Deus e respeitar tudo o que ele fez e faz por nós pela condição de pertencentes a sua grande bondade. E não destruir, desintegrar ou desestruturar-se da sua verdade com a criação das nossas próprias vontades, sem comprometimento com uma pratica da felicidade das outras pessoas.

E a luz de Deus está em todo esse universo, pois tudo o que ele fez é bom, mas a verdadeira presença como sendo morada do espírito encontra-se no nosso coração e na nossa consciência. E nos impulsiona a vermos com clareza do amor essa presença nas pessoas que nos rodeiam, principalmente as que se encontram desprotegidas dessa luz: os abandonados espiritualmente, economicamente e moralmente pelas adversidades da vida.

São essas pessoas que precisam da nossa presença para poder voltar a amar, perdoar e serem felizes, recebendo acolhida externa, isto é, nosso acolhimento físico pelos sinais do olhar, do abraço, do aperto de mão, de palavras sinceras, da ajuda a quem estiver caído atraído pelas diversas circunstâncias da sociedade e tudo o que demonstre seriedade pela pessoa que sofre. Assim nós poderemos conduzir essas pessoas à revelação interna do nosso coração e também para os favores na luz da consciência, seja por pensamentos bons e positivos, pela oferenda da nossa oração a Deus pai que vê e conhece o que se passa na nossa mente oculta ou simplesmente para depositar muito amor por todas as criaturas que estão colocadas na mesma dimensão da nossa vida.

Tudo isso purifica nossa existência e ajuda-nos a perceber os caminhos da alma na realidade da natureza, nas pessoas e em Deus. E poderemos sentir uma profunda leveza em nossa vida com essa potência externa que nos faz estarmos em sintonia com os valores do espírito na matéria, sem descuidarmos desorganizando o interior das pessoas com enganos, calúnias ou mentiras, pois isso prejudica e sufoca a manifestação da pureza do amor e não deixa transparecer a liberdade da transitoriedade desse espírito.

Todos nós necessitamos de alegria, paz, motivação e esperança, mas é preciso saber orientar nossa vida pelos caminhos da felicidade e não destruir, desestimular ou colocar empecilhos nos corações e consciências das pessoas, mas sim ajudando-nos mutuamente no verdadeiro sentido da existência das pessoas, sendo coadjuvantes da manifestação na luz divina numa sintonia que não se esgota, não se apaga e nem se corrói, pois vem da bondade de Deus que nos ama pela verdade numa motivação transparente.

Comente pelo Facebook

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA