Ministro Fachin autoriza abertura de inquérito para investigar Temer

 

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou nesta quinta-feira ,17 de maio, a abertura de inquérito para investigar o presidente Michel Temer – atendendo a pedido da Procuradoria-Geral da República.

Com a decisão, Temer passa formalmente à condição de investigado na Operação Lava Jato.

Na quarta-feira, o jornal O Globo divulgou que os donos da JBS, Joesley e Wesley Batista, gravaram o presidente dando aval para a compra do silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). As gravações foram oferecidas ao ministro Fachin em delação premiada – homologada nesta quinta.

Na gravação, de acordo com o jornal, Temer indica a Joesley o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). Em outra gravação, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley.

De acordo com o jornal, Temer e Joesley se encontraram no Palácio do Jaburu em 7 de março por volta das 22h30min. Na conversa, que durou cerca de 40 minutos, Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. Diante da informação, Temer incentivou: “Tem que manter isso, viu?”.

Aos procuradores, Joesley disse que não foi Temer quem solicitou o pagamento da mesada, mas que o presidente sabia dos pagamentos.

Fonte: Gaúcha

Comente pelo Facebook

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA